sexta-feira, dezembro 28, 2007

Fim de Ano e já falam em Carnaval

Fim de ano é assim mesmo. Nas ruas, as pessoas já dizem: “o País só volta à ativa após o Carnaval”. A frase nunca deixará de ser clichê e muito menos lenda. Porque, nesse período, o Sr. João continua a catar latinhas nas ruas. Os lixeiros continuam a recolher os lixos de sua casa. E você continua pedindo a pizza que tanto adora sem por os pés para fora de casa. Então, por favor, não diga que o País pára por alguns dias, pois é pura ilusão. O Brasil é o próprio Carnaval, pois, durante o ano, a população continua bebendo cerveja, vai à praia, samba na rua, faz topless e ainda trabalham para pagar o IPVA. Quer saber? Odeio Carnaval, mas adoro uma “pelada”.

quinta-feira, dezembro 27, 2007

Você gosta do que faz?

Sempre fui contra as pessoas que fazem o que não gostam. Mas, na maioria das vezes, as opções são poucas e é preciso sim, em algumas ocasiões, ceder. Nem sempre faremos o que gostamos.

Podemos fazer escolhas, mas jamais saberemos no que resultará tais opções. Assim, para vivermos democraticamente, às vezes é necessário conviver com quem não gostamos e fazer o que o odiamos. Essa é regra do jogo.

Para finalizar, uma tira feita por Ryot. O cara é fera seu site já está adicionado em meus favoritos.

quarta-feira, dezembro 26, 2007

Morte nas estradas brasileiras

De acordo com os dados parciais da Polícia Rodoviária Federal (PRF), entre a 0h de sexta-feira e as 6h de terça, houve um aumento de 77,8% de acidentes nas estradas federais em relação ao Natal do ano passado. O número parece até piada.

Para o chefe da comunicação da PRF, Alexandre Castilho, o aumento está ligado ao crescimento econômico do País e à crise área. Então, mais uma vez observamos que o Brasil não está preparado para esse “crescimento” econômico. Diante disso, gostaria que alguém explicasse como iremos suportar uma Copa do Mundo dessa maneira?

Tudo bem que não devemos nos esquecer que subiu em 30% o número de veículos circulando pelas estradas de todo o País. No entanto, o número deve servir para alertar os governos (estadual e federal) de que é necessário um investimento grande em rodovias, aeroportos e ferrovias brasileiras. Portanto, a infra-estrutura deve prosperar junto com o crescimento econômico.

Mas, de acordo com Castilho, a maioria dos acidentes é causada por imprudência dos motoristas. Por que será? Ao renovar ou tirar a habilitação de motorista, todos não devem passar por um curso ou uma prova escrita? Então, teoricamente esse número deveria diminuir e não aumentar.

Acredito que o problema ocorre também por falta de investimento nos últimos anos em campanhas direcionadas à segurança no trânsito. Certamente esse investimento beneficiaria a Saúde e a Segurança. Enquanto isso, infelizmente durante is feriados prolongados, as estradas brasileiras acabam recheadas de acidentes fatais.

Ilustração: Detran (CE)

segunda-feira, dezembro 24, 2007

Descobrindo o “.com.br”

De acordo com as informações da empresa de Correios, em relação ao ano passado, houve um crescimento de 56% nas vendas pela Internet. São vários os fatores que justificam o aumento. De início, eu diria que os usuários estão perdendo o medo de utilizar a Rede para transações bancárias e passam a ter certeza de que a Web não é nenhum bicho de sete cabeças. Na verdade, eles estão se acostumando e descobrindo o “.com.br”.

Outra explicação é que pesquisas apontam que os internautas ficam cada vez mais tempo on-line e, nessas listas, o nosso País sempre aparece entre os três primeiros colocados. Assim, apenas agora muitos estão podendo conhecer de fato a Internet, pois o governo tem investido bastante na inclusão digital. Dessa maneira, a população de baixo poder aquisitivo passou a ter acesso à Rede em suas comunidades, seja por meio de projetos sociais ou nas escolas.

Também não podemos esquecer que houve uma abertura para a queda satisfatória do valor dos computadores. Dessa maneira, por meio de financiamento, eles passaram a entrar nas periferias.

Investir em inclusão social é uma boa decisão do governo. Porque não está apenas injetando dinheiro em tecnologia, mas também em educação conseqüentemente. Com o auxilio da Internet, a população passa descobrir um mundo virtual cheio de informações.

Assim, milhões de dados passam a estar disponível na tela do computador, abrindo uma porta para o conhecimento que, provavelmente, jamais será fechada.

PS: estive sem postar nos últimos dias por problemas pessoais. Agora que estão resolvidos, estou de volta.

sábado, setembro 08, 2007

A volta do blog

Eu sei que estou em falta com atualizaçãos deste blog. Mas é que houve uma reviravolta na minha vida nessas últimas semanas. No entanto, quero voltar a colocar este blog em dia. E, para isso, voltarei a atualizá-lo a partir de agora.

Portanto, aguardem novas atualizações.
Até mais.

segunda-feira, agosto 20, 2007

Algumas novidades!

Nos últimos dias estive meio sumido do blog. Estava correndo atrás de um evento aqui na cidade de Limeira. Na verdade, foi um show do maior “Bee Gees” cover do mundo, chamado “Bee Gees Alive”, que foi eleito, na Europa, em 2003, como a melhor e mais completo grupo de tributo aos “Bee Gees”.

O evento foi um sucesso. Mais de 4 mil pessoas compareceram para reviver os “embalos de sábado à noite”. O que se pode falar de “Bee Gees Alive” é que são impressionantes. Se, durante o show, fechasse os olhos, poderia jurar de pés junto que os “Bee Gees” estavam tocando em Limeira.

A banda vai passar ainda por Rio Claro, Piracicaba e em mais algumas cidades da região. Quem tiver oportunidade de conferir. Vale a pena.

Outra novidade é que, na Semana de Comunicação do Isca Faculdades, a jornalista Eliane Cantanhêde estará no evento. Atualmente ela é colunista da “Folha de São Paulo” em Brasília, escrevendo na página dois ao lado dos monstros do jornalismo brasileiro Clóvis Rossi e Carlos Heitor Cony. Foi diretora da sucursal da Folha em Brasília de 1997 a 2003. Jornalista carioca formada pela UnB, foi repórter de "Veja", chefe de redação do "Jornal do Brasil", colunista de "O Estado de S.Paulo", diretora de redação de "O Globo" e da "Gazeta Mercantil", e comentarista de política do SBT Brasil, sempre em Brasília.

Quando a data tiver confirmada, divulgo aqui para vocês. Até o próximo post.

domingo, agosto 12, 2007

Um pouco que é tudo

- O escritor Branco Leone participará do programa “Equilíbrio” na próxima segunda-feira, às 20h, no canal allTV. Vale a pena dar uma passadinha por lá e conhecer um pouco sobre literatura independente.

- Você está sabendo que, no Rio, a partir de hoje, acontece o Parapan-Americano, que é os jogos voltados aos deficientes físicos? É nessas horas que percebemos o quanto há de demagogia e exclusão social neste País.

quinta-feira, agosto 09, 2007

Como pode? Eu fico put*

Aqui em Limeira, existe uma escola infantil que abriu há pouco tempo e fica localizada no centrão da cidade. Até aí tudo bem. Mas, na verdade, o problema acontece justamente no horário de pico, quando, até aqui no interior, o trânsito fica uma mer*.

A escola não está localizada em um local adequado, pois fica exatamente do lado em que não se pode parar ou estacionar veículos. Mas o que acontece no horário de pico? As “mães” vão buscar os seus filhos na escolinha, estacionam o carro lá, demoram dez minutos para beijar os seus filhos, e, finalmente, sentar a traseira gorda no banco do carro e sair desesperadamente do local. Por outro lado, os motoristas se fod*m porque precisam desviar dos veículos que estão parados em local terminantemente proibido, gerando um enorme congestionamento.

Quem deu alvará para aquela escola funcionar ali? Como uma criança pode entrar ou sair do veículo em segurança num local onde não se pode parar nem estacionar? Por isso que a coisas não vão para frente. Neste País, a velha canção “Money chages everthing” é a base da sobrevivência e da ignorância de poucos. Eu fico put* com essas coisas.

terça-feira, agosto 07, 2007

Só para o ano que vem mesmo

A cantora norte-americana Cyndi Lauper, de 53 anos, que fez um enorme sucesso na década de 80 e 90 quando tinha um pouco mais de 20 anos, anunciou que faria uma pequena turnê pela América Latina chamada “South American Tour” (Turnê América do Sul). Inclusive, no dia 2 de outubro, o show estava confirmado no Credicard Hall, em São Paulo. Cyndi não se apresenta no Brasil há 13 anos.

No entanto, na semana passada, os fãs ficaram surpresos com a notícia de que a cantora cancelou a possível turnê. Em troca, a cantora incluiria as cidades sul-americanas em sua próxima turnê mundial, que deverá acontecer no próximo ano, após o lançamento de seu novo trabalho, "Savoire Faire", álbum baseado em canções estilo dance.

A eterna rival de Madonna tem em seu currículo canções que chegaram ao topo das paradas de sucessos em todo o mundo, como “Girls Just Wanna Have Fun”, “Time After Time”, “True Colors”, “Hey Now”, “Drove All Night” (que depois foi gravada pela cantora Celine Dion), além de muitas outras.

Acredito que Cyndi Lauper seja uma das poucas figuras que registrou a marca da década de 80 e do início dos anos 90 tão bem. Ninguém pintava tanto o cabelo de várias cores como ela. Provavelmente, foi uma das influências da moda trash no mundo, usando roupas nada tradicionais. Além, é claro, de ser uma das responsáveis pelo sucesso do filme trash “Gonnies”, o qual cantava a faixa-título da trilha sonora.

Hoje, com 53 anos, Cyndi ainda continua inovando com as cores de seu cabelo. Mas o charme das roupas que costumavam criar moda entre as adolescentes dos anos 80 não é mais o mesmo. Ela cresceu e amadureceu. Sua voz, apesar de afinada já na época, agora podem atingir notas sensacionais como poucas cantoras dentro show bizz.

Com um show simples, nada parecido com o de Michael Jackson ou de Madonna, Cyndi não traz efeitos produzidos por ilusionistas de palco, mas, com certeza, é um concerto que vale a pena ser assistido pela beleza e classe de sua performance no palco. Relembrar os sucessos que embalaram épocas, ainda ao vivo e em cores, é mais do que prazeroso. Na verdade, é uma viagem que, no fim, é difícil acreditar que esteja acabando.

segunda-feira, agosto 06, 2007

O depserdício da lei

Ontem, o programa “Fantástico”, da TV Globo, exibiu uma matéria muito importante que o governo também deveria se atentar. Segundo a reportagem, muitos restaurantes, inclusive aos dos cantores Chitãozinho e Xororó, são obrigados a jogar quilos e mais quilos de comidas todos os dias.

De acordo com o repórter, a lei brasileira não ajuda os restaurantes que tentam fazer com que a sobra do dia, ou seja, comidas que ainda não saíram da cozinha, cheguem às pessoas necessitadas. Isso porque, caso a pessoa venha não passe bem após a doação, ela terá o direito de processar a alma bondosa, que ainda poderá pegar cinco anos de reclusão.

Essa pena também é válida se a pessoa não conservou o alimento adequadamente. Então, diante dessa situação, os restaurantes são praticamente obrigados a jogar toda a sobra no lixo.

É até vergonhoso aceitar tal posição, já que, no Brasil, há muitas pessoas que incluem em suas orações diárias o pedido de pelo menos um prato de comida três vezes ao dia. Essa é atual realidade do País. De um lado, comidas desperdiçadas em milhares de restaurantes, do outro, milhares de casas que aceitariam essa alimentação.

Aumentar o número de programas semelhante ao que o “Fantástico” destacou é essencial para controlar o desperdício. E, claro, é fundamental estudar e modificar a lei para que possa trazer uma solução ao problema que o País enfrenta em relação ao desperdício de alimentos.

Também, são necessários investimentos para que a vida dessas pessoas possam mudar, para que vivam dignamente, com o mínimo de dependências possíveis.

sábado, agosto 04, 2007

A coisa certa, na hora certa

De acordo com informação do G1, cansada de assistir ao filho de 13 anos cometendo furtos, uma mulher preferiu entregar o jovem à polícia. O fato aconteceu em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RS), e a atitude foi elogiada pelos policias que atenderam o caso. “A atitude dela é um exemplo, que é difícil, mas deve ser elogiada", disse a soldado Flavia Cristina Abreu.

É mais do que louvável a atitude tomada pela mãe. O adolescente tem 13 anos e já recebeu uma medida socioeducativa, que nunca chegou a ser cumprida. Ele teve um emprego, mas foi demitido dias depois.

Estamos sempre criticando o que os outros fazem ou deixam de fazer. Por muitas vezes, esquecemos de enxergar os problemas que acontecem próximos da gente. Assim, apontamos os defeitos dos outros e raramente conseguimos apontar os nossos.

Essa mulher agiu prudentemente ao fazer uma autocrítica em relação ao seu filho. Não vendo outra saída, decidiu comunicar à polícia sobre os crimes cometidos pelo seu filho.

Aí vai uma pergunta: somos éticos a tal ponto? Você entregaria o seu filho? Se não, então não aponte os defeitos dos filhos dos outros, já que não consegue apontar nem os seus. É mais dura realidade e pode ser dolorida. Mas infelizmente é difícil conseguir mencionar os nossos defeitos ou de quem mais gostamos.

sexta-feira, agosto 03, 2007

Em São Paulo

Milhões de pessoas sem água e sem metrô. O que está acontecendo com a maior cidade da América Latina? Alguém pode me informar?

quarta-feira, agosto 01, 2007

Será que sai desta vez?

Bem, sabemos que o recém-empossado ministro da Defesa, Nelson Jobim, já declarou que é contra o projeto de construção de um novo aeroporto no Brasil. Ou seja, dez dias após Lula afirmar, em cadeia nacional de televisão, que anunciaria em breve uma área para a construção de um novo aeroporto, o governo já desiste do projeto.

Agora, o governo de São Paulo anunciou a construção, já no começo de 2008, de uma linha ferroviária para trens rápidos, com velocidade superior a 100 Km/h, entre as cidades de São Paulo e Guarulhos, podendo até se estender a Campinas futuramente. De acordo com o governo, a inauguração deve ocorrer no ano de 2010 (coincidência ou não, é ano eleitoral em que os brasileiros votarão para presidente e para governador).

Isso seria um progresso para o nosso País, que, em pleno século 21, não possui um transporte desse tipo. Quem sabe essa construção, se realmente sair do papel, não incentiva investimentos nessa área para o transporte de passageiros.

No entanto, do mesmo modo como o governo anunciou a construção de um novo aeroporto, ele deve declarar que desistiu do projeto. Não adianta prometer ações milagrosas para confortar o povo brasileiro, que aflito assiste sentado às conseqüências da falta de investimento em infra-estrutura no País.

Temos consciência que é mais fácil para os nossos governantes prometer ações em cima de um palanque e, depois, desistir delas em silêncio.

terça-feira, julho 31, 2007

Uma única frase

Você já fez essa pergunta:

"Para que 3 porquinhos se você pode ter 7 anões?", de Maria Helena.

sábado, julho 28, 2007

Cambistas na Área Azul de São Paulo

Disse que estaria em Sampa hoje, mas, para variar, voltei ontem mesmo. O frio e minha cama foram mais fortes do que eu. Então, aí vai um post que não havia prometido ontem.

Por incrível que pareça, em uma cidade do tamanho de São Paulo, com um alto desenvolvimento econômico, existem cambistas até para venderem cartelas da Área Azul. E o pior, quase o dobro do preço que se pagaria em uma banca de jornal (R$ 1,80).

Havia muito mais cambistas do que fiscalizadoras da prefeitura verificando se o carro estava realmente “etiquetado” para estacionar naquela área. Mas como pode a prefeitura permitir tal situação? É inadmissível o posicionamento do governo em tolerar cambistas executando esse tipo de serviço na região central da cidade, próxima à Estação da Luz.

O trabalho deles acontece tão naturalmente que todos já estão acostumados. Alguns são capazes de deixar a chave do veículo para que possam trocar a cartela a cada uma hora. Só penso em um motivo para a prefeitura consentir essa situação: moderar o quadro de funcionários que fazem esse tipo de serviço.

Aliás, o quadro de funcionários para vender cartelas da Área Azul nem existe mais. Bares e bancas de jornais ficaram responsáveis por prestar esse favor aos governantes municipais. Às vezes, é até pensável que a falta de vendedores da Área Azul é para facilitar o trabalho dos cambistas.

Em três horas que andei pelo centro da cidade, avistei apenas uma fiscalizadora “OFICIAL” da Área Azul, que confirmou o trabalho ilegal dos cambistas. Ou seja, não é segredo para ninguém e todos sabem. Mas ninguém quer resolver o “abacaxi”.

Enquanto Limeira, com quase 300 mil habitantes, tem uma fiscalizadora e um parquímetro em cada esquina, São Paulo, com mais de 10 milhões de habitantes, possui uma fiscalizadora em cada bairro. Pela primeira vez, senti saudades de um parquímetro e passei a dar mais valor aos serviços da Área Azul prestados em Limeira, mesmo não concordando com algumas opções.
- Ah, minha opinião sobre o famoso pão com mortadela do Mercado Municipal: tem certeza que o Cristo é uma das sete maravilhas do mundo moderno?

sexta-feira, julho 27, 2007

Tirando um dia para dar um volta por São Paulo

Hoje estarei indo a São Paulo para conhecer o famoso Mercado Municipal e, claro, experimentar o falado lanche de mortadela. Como todo cidadão do interior, não há dúvidas que uma volta pela maior cidade da América Latina é uma boa saída para conhecer opções que jamais o interior, principalmente Limeira, poderá oferecer. Mas esse é o preço que se paga quando não se nasce com a bunda virada para a lua.

Bem, ficarei na casa de minha tia. Lá, na casa da titia, é uma região afastada do centro da cidade. Mas ainda prefiro São Paulo com chuva do que Limeira com sol, pode apostar. Porém, infelizmente volto a essa pobre cidadezinha de Limeira somente no sábado. Assim, não espere por meu post amanhã. Postarei algo somente no domingo.

quinta-feira, julho 26, 2007

Tina Turner participará do novo CD de Santana

O álbum "Ultimate Santana", uma retrospectiva da carreira do guitarrista a ser lançada em 16 de outubro, terá um dueto com a rainha do rock, Tina Turner, que interpretará a canção “The Game of Love”.

Entrevistado pela Billboard, Santana comentou sobre a colaboração. “Quando a gente ouve as notas que a Tina consegue atingir, cada pêlo no nosso corpo fica em pé”, disse sobre a participação da cantora.

Muitas pessoas sabem que sou fã da cantora norte-americana Tina Turner. Uma das razões para isso é quem a viu subir ao palco afirma que o calor e a energia transmitidos por ela não se compara a nenhuma outra sensação já vivida.

Tina Turner é o exemplo de força feminina sem igual e que conseguiu dar a volta por cima, transformando-se em uma das maiores estrelas do show business. Durante os anos em que viveu com o seu ex-marido, o roqueiro Ike Turner, sofria agressões e abusos constantes.

Horas antes de um show em Las Vegas, após um briga que deixou sua face ensangüentada, Tina Turner abandonou Ike com apenas alguns centavos no bolso e um cartão de um posto de gasolina. Então, na mesma noite, pediu abrigo em hotel da cidade, prometendo ao gerente que voltaria para pagar toda a conta se ele arrumasse um quarto a ela.

Após a separação, em 1983, Tina Turner iniciou sua carreira solo, tornando-se, segundo Janis Joplin, a cantora de maior performance na história da música. Até Phil Spector, famoso produtor musical que trabalhou com os Rolling Stones e os Beatles, afirmou que para aqueles que pretendem fazer um grande sucesso no show business devem entender a arte de dançar, de interpretar e de cantar, mas, para isso, é preciso estudar o nome de três pessoas: Tina Turner, Tina Turner e Tina Turner.

Com uma voz única e potente, Tina é mundialmente conhecida por seus shows eletrizantes e sua incrível presença de palco. Suas turnês contam com os maiores diretores de som e de luz que colaboram com efeitos especiais de última geração. Não é à toa que Tina Turner já vendeu mais ingressos para seus shows do que qualquer outro artista na história da música.

Portanto, aguardo com ansiedade o dueto com o cantor Carlos Santana e o seu novo álbum, que deve ser lançado no próximo ano. Será o primeiro trabalho da cantora com canções inéditas em oito anos.


Tina Turner, em 1988, no Maracanã, canta “Paradise is Here”. O show está no Livro dos Recordes: o maior público pagante – aproximadamente 190 mil pessoas –, em um show de uma cantora-solo.

quarta-feira, julho 25, 2007

Não se deve confundir responsabilidade com culpa

O governo tem sim uma responsabilidade sobre o acidente aéreo da semana passada, pois é dele que parte o dever de exigir e de acompanhar toda a investigação do que levou à tragédia. O que ainda é precipitado culpá-lo pelo ocorrido.

No entanto, quando ouço algumas pessoas comentarem que o governo não tem obrigação nenhuma sobre o desastre, penso: “o Brasil tem falhas graves na educação social”. Por isso, estou certo de que é preciso levar às salas de aulas debates que possam formar uma opinião adequada em relação aos assuntos do nosso cotidiano.

Não há significância nenhuma tomar posição sobre determinado tema, se não existe uma justificativa que possa defendê-lo com unhas e dentes.
A jornalista Elen Lima me indicou um site muito bacana, “Amazônia para sempre”, que fala sobre devastação da Amazônia. Acesse aqui.

segunda-feira, julho 23, 2007

Por que não eles, os bombeiros, também?

Na última sexta-feira, apenas três dias após a tragédia com o avião da TAM, diretores da Anac (Agência Nacional de Aviação) foram condecorados pela FAB (Força Aérea Brasileira) pelos serviços prestados à Aeronáutica.

Enquanto o presidente da Anac, Milton Zuanazzi, e três outros diretores, Denise Abreu, Leur Lomanto e Josef Barat recebiam uma insígnia honorífica, centenas de bombeiros trabalhavam nos destroços do acidente de terça-feira passada.

A Anac é a responsável por assegurar que o transporte aéreo seja realizado dentro de padrões mínimos de segurança. Você acredita que está sendo seguro voar no espaço aéreo brasileiro nos últimos dez meses? Minha opinião é não, depois de ouvir vários especialistas da área de segurança aérea.

A FAB jamais deveria condecorar tais diretores da Anac na semana da maior tragédia aérea brasileira. O governo ainda estava em luto oficial, decretado por três dias pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Essa atitude, apenas três dias após a tragédia, só serviu para mostrar que não houve solidariedade e nem sensibilidade com as famílias e com o povo brasileiro, que ficou chocado diante desse acidente aéreo.

E os bombeiros que trabalham há dias no resgate das vítimas, que chegaram rapidamente ao local do choque entre o avião e o prédio da TAM, que salvaram vítimas? O que aconteceu com eles?

Esses foram condecorados por cada cidadão brasileiro e por cada parente das vítimas, pois se mostraram capazes de exercer tal função num dos piores cenários já enfrentados por eles. Por que também não receber uma condecoração pelo trabalho excepcional executado durante a tragédia?

Só não entendo por que o governo preferiu aplaudir a Anac enquanto bombeiros arriscavam suas vidas para salvar outras. Não importa, o essencial é que o povo brasileiro aplaudiu de pé o serviço desses homens enquanto o governo comemorou com gestos obscenos a possível falta de culpa na tragédia aérea.

Parabéns aos bombeiros que participaram direta e indiretamente no socorro às vítimas do maior acidente aéreo brasileiro.
Foto: Daniel Santini/ G1

domingo, julho 22, 2007

sábado, julho 21, 2007

Indicação de livro-reportagem

Caros leitores, hoje quero de indicar o livro-reportagem “O corte: como vivem - e morrem - os migrantes nos canaviais de São Paulo”, escrito por Agnaldo Rodrigues em seu trabalho de conclusão de curso pelo Isca Faculdades, de Limeira, orientado pela jornalista Socorro Veloso.

O livro, em formato e-book, foi o primeiro colocado no Intercom Sudeste deste ano e merece toda a leitura, pois o trabalho executado pelo jornalista é fantástico. A obra pode (e deve) ser conferida diversas vezes.

Resumo:
Este livro-reportagem apresenta um recorte do fenômeno de mobilização humana que ocorre todos os anos, durante a safra da cana-de-açúcar, no interior de São Paulo. O objetivo é retratar a vida de pessoas que labutam nos canaviais, e mostrar a luta de outras que estão engajadas na solução dos problemas dos cortadores de cana. Com isso pretende-se provocar a reflexão e oferecer contribuições para o debate sobre as condições de vida e trabalho desses migrantes.

Para acessar o livro em formato e-book, clique aqui.

Hoje tem Alex, Bia e Branco em Sampa

Num clima de “one night only”, hoje tem Alex Castro, Luiz Biajoni e Branco Leone numa noite de autógrafos em São Paulo. Todos lançam um livro pra lá de comentados em toda a Web.


sexta-feira, julho 20, 2007

Nova enquete do blog "Buzz!"

Nova enquete do blog: "Lula ficou sabendo do acidente da TAM?". Altenativas para resposta: "Sim. Ele sempre sabe de tudo", "Não. Ele não nunca sabe de nada" ou "Eu não sei de nada". A enquete está disponível para votação no menu ao lado.
Ah, postei mais duas "coisas" hoje. Veja abaixo:

Estamos seguros em solo?

A pergunta que fica na mente de cada brasileiro é “estamos seguros onde estamos?”. Depois da tragédia dos dois maiores acidentes da história da aviação brasileira, fico apreensivo em querer saber se realmente estamos seguros em nossas casas, em nossos trabalhos ou onde estivermos.

Hoje, ao que parece, não são todos que estão a salvos de um acidente aéreo. O receio acontece principalmente em regiões que são rotas de aeronaves, como é o caso da região de Campinas, no interior de São Paulo.

Estamos realmente seguros em solo de possíveis acidentes aéreos? Necessitamos de uma atitude agora, se um dia quisermos fazer deste País digno de moradia segura e sede de uma Copa do Mundo de Futebol.

Claro, investimento em infra-estrutura: educação, saúde, segurança e exterminação de políticos corruptos. Essa é a fórmula simples, onde o ingrediente principal está na boa vontade de nossos governantes.

“Relaxe e reze!”

Sucesso: autores passam por São Paulo nesse fim de semana

Nesse sábado, ocorre a noite de lançamentos dos livros “Vírginia Berlim”, do jornalista e escritor Luiz Biajoni, “Liberal libertário libertino” e “Radical rebelde e revolucionário”, ambos de Alex Castro, e “Os melhores – e alguns dos piores – textos de Branco Leone”, do escritor Branco Leone, no Bar Canto da Madalena, em São Paulo.
Compareçam, será uma noite para conhecer pessoas e tomar umas (no bom sentido, é claro).

Segue mais detalhes no anúncio abaixo:

quinta-feira, julho 19, 2007

Mais uma negligência na manhã de hoje

Não sou especialista e nem precisaria ser para pensar que algo ainda está errado com Congonhas. Na manhã de hoje, durante o telejornal “Bom Dia Brasil”, da TV Globo, uma imagem feita quase que ao vivo mostrou um avião da TAM, um Fokker 100, arremetendo antes de posar em Congonhas.

O vídeo, que pode ser visto clicando aqui, mostra nuvens que encobrem as pistas do aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Minutos depois, o avião pousa com segurança. Mas o piloto chegou a informar aos passageiros que precisou arremeter, pois a visibilidade não era segura para o pouso.

Assim, questiono: se existem nuvens que impeçam a visibilidade do piloto e, consequentemente, colocam em risco a vida de passageiros, não seria mais seguro cancelar pousos até que a visibilidade esteja dentro dos padrões de segurança?

É uma negligência atrás de outra e as coisas continuam a acontecer neste País como se nada tivesse errado. Devemos agradecer aos grandes pilotos que tentam ao máximo evitar outro acidente aéreo, pois se dependessem somente da infra-estrutura do Brasil, seria mais seguro e mais econômico viajar a pé.

quarta-feira, julho 18, 2007

A cobertura de uma tragédia

OBS: O texto de hoje nada vai ser diferente do que foi publicado na Rede, pois é inevitável não opinar sobre.

Ontem, por volta das 19h, o maior canal de notícias do mundo, CNN, interrompe sua programação internacional e destaca o Brasil como noticiário especial. Mas nada tinha haver com o Pan-Americano, infelizmente. A transmissão exibia a cena de uma tragédia - o maior acidente aéreo da história do País -, que já tinha sido prevista por muitos especialistas há pelo menos dez anos.

Naquele momento, o canal CNN mostrava para centenas de países como é inseguro utilizar o transporte considerado o mais seguro do mundo no Brasil. A imagem gloriosa do Pan apagou-se no exato momento em que as explosões e que as chamas tomaram conta da programação do noticiário.

É assim que o Brasil foi visto por milhares de pessoas em todo o mundo. Como um País possuidor de um transporte aéreo ineficaz, unida com a irresponsabilidade de que o comanda. Ainda não há culpados, existem hipóteses, que deverão ser investigadas profundamente.

No entanto, para o desespero de quem utiliza o transporte aéreo brasileiro, o perigo não está limitado apenas às grandes altitudes, ele está presente ao solo, mais especificamente na pista de Congonhas. O que é mais absurdo? Era totalmente previsto e foi absolutamente alertado.

Com cenas de uma tragédia pré-anunciada, podemos concluir que o País não está preparado para crescer. Um pouco que evoluiu nos últimos anos só deixou mais claro que ainda não há, no Brasil, uma infra-estrutura para suportar tal crescimento.

terça-feira, julho 17, 2007

Mais uma vez: onde está o respeito ao cidadão?

O aposentado Jaime Augusto Rangel, hoje com 67 anos, ganhou um presente de aniversário inesperado: várias cirurgias plásticas, segundo a sua família. Mas não era a vontade de Rangel passar por essa situação. O aposentado foi agredido por jovens após a colisão entre o seu microônibus e um carro, onde os jovens estavam.

De acordo com o boletim de ocorrência, o idoso teria começado a briga e o suposto agressor teria dado um soco nele para se defender. Mas testemunhas afirmam o contrário. "Eles bateram [em Jaime], até caiu a dentadura", diz uma mulher que não quis ser identificada. O agressor foi liberado pela polícia após prestar depoimento.

No “post” de ontem, tratei exatamente sobre a falta de respeito ao ser humano, pois alguns estão longe de respeitar a si mesmo. O fato é que não se justifica um erro por outro. Segundo os parentes de Rangel, ele teve traumatismo craniano e vai precisar fazer as cirurgias plásticas para reconstruir a testa, o nariz e o maxilar.

Enquanto Rangel passa por um sofrimento trancado a uma cama de hospital. Onde estão os jovens que o agrediram? Soltos. Por quê? Segundo o delegado, eles não foram pegos em flagrante. Claro, o delegado não tem culpa de nada. Afinal, se há uma lei que não permite prender jovens como esses, o que fazer? Só resta recolher provas que possam incriminá-los, caso sejam considerados culpados – e isso é dever da Justiça.

Vale a pena lembrar que o jovem que estava dirigindo o outro veículo não tinha carteira de habilitação e só foi possível localizá-lo com ajuda de testemunhas que anotaram a placa do carro.

Infelizmente não deveria ser assim, mas cabe a nós o poder de auxiliar as autoridades na fiscalização. Mas ponderando que punir ainda cabe a Justiça.
Com informações de Globo.com/G1

segunda-feira, julho 16, 2007

O respeito só vale quando é lei

Em São Paulo, uma nova lei deve beneficiar os idosos. A partir de agora, 5% das vagas dos estacionamentos públicos e privados deverão ser destinadas a idosos com mais de 65 anos. Caso a lei não seja cumprida, o estacionamento deverá arcar com uma multa de R$ 100 por dia, até se adequar. No entanto, a lei só passa a valer daqui 120 dias, pois, durante esse período, os estacionamentos terão a possibilidade de se ajustarem às exigências.

Esse tipo de atitude, de respeito aos idosos, deve estar presente à origem cultural e moral de nosso povo, convertendo-se ao nosso cotidiano. Respeitar pessoas que tenham um conhecimento profundo sobre a vida é um dever que deve ser seguido e cultivado pelo povo brasileiro. Não seriam necessárias leis como essa se todos fizessem um pouco de suas obrigações dentro de uma sociedade: viver civilizadamente, respeitando os direitos de cada um.

Legalizar um compromisso que deveria estar instruído à vida social de cada brasileiro é praticamente uma ofensa às pessoas que se beneficiam dela. Se soubéssemos respeitar o que é justo, não precisaríamos discutir leis que ordenam deveres que deveriam estar perpetuados a nossa sociedade.

Mas, como a sociedade deixou de lado a obrigatoriedade do respeito ao próximo, é inevitável criações de leis que auxiliam a reeducação (ou memorização) de um povo esquecido e que abandonou o próprio respeito a si mesmo.

O respeito só tem valor quando vira lei e uma obrigação que não seja a vontade de uma parte. Por isso, depende-se de quem fiscaliza para que seja feito na prática o que está escrito na teoria. De qualquer forma, ficamos subordinados de uma sociedade com falta de alguns valores morais e culturais, mas não menos importantes.

Se hoje a maioria não respeita o direito do idoso, ou de qualquer outro cidadão, é porque esquece que um dia poderá estar na mesma situação, dependendo do mesmo respeito e do caráter de cada um.

É como um velho ditado diz: “Não ria dos mais velhos, mas reze para um dia chegar lá”.

domingo, julho 15, 2007

Finalmente chegou!

Bem, finalmente domingo chegou. Dia de paz e de tranqüilidade.

Um texto light, para um dia light. Achei esse vídeo na Internet e gostei. Então, quero compartilhar com vocês.



O jornalista Rafael Sereno está com um novo blog, passe lá e confira as novidades.

Se der, escrevo mais alguma coisa ainda hoje. Caso contrário, só amanhã.

Abraços até amanhã.

sábado, julho 14, 2007

Lançamento de livro no Rio

Segue abaixo sujestões aos Cariocas:


Abertura que impressionou

A abertura do 15º Jogos Pan-Americanos começou com atraso de meia hora, após a chegada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi vaiado diversas vezes durante toda a cerimônia, provavelmente devido ao atraso.

Confesso que não esperava tanto. O País apresentou algo comparável às aberturas olímpicas e não ficou atrás. Uma apresentação impecável marcada por beleza, por jogos de luzes, por fantasias modernas e por muitos fogos de artifício, que faziam acrobacias em volta ao Maracanã.

Um espetáculo muito bem organizado e elaborado, que ofuscou os protestos contra Lula. Para evitar novamente as vaias, foi a primeira vez que um presidente deixa de anunciar a abertura dos Jogos Pan-Americanos.

Não há o que falar da organização da abertura do Pan-Americano. Foi impressionante. Ao Lula, pelo atraso irreparável, nota 0. Ao Brasil, que venha a Copa de 2014.

Foto: Erik Barros Pinto

sexta-feira, julho 13, 2007

Estranho, não!?

Muito antes do Pan começar, muitos profetizaram que os aeroportos de todo o País, principalmente o do Rio de Janeiro, sofreriam um apagão profundo, devido ao movimento maior que estaria relacionado aos jogos do Pan-Americano, que acontece no Rio de Janeiro a partir de hoje, com a cerimônia de abertura marcada para as 17 horas.

Mas todos os atletas que participarão, pelo menos a maioria, já chegaram ao Rio e, mesmo assim, o esperado “apagão aéreo” não aconteceu ou não dá sinais de que ocorrerá. Nesses momentos, é difícil acreditar nas palavras de nossos governantes quando dizem que a causa da crise nos aeroportos brasileiros está ligada ao crescimento da economia do Brasil, consequentemente gerando um número maior de pessoas que circulam nos saguões dos aeroportos.

De acordo com a Secretaria Municipal de Turismo do Rio, o Pan-Americano deve trazer cerca de US$ 600 milhões para a economia. Portanto, se este pode ser considerado um pico de crescimento econômico momentâneo, então, por que até agora não houveram manifestações de que poderá ocorrer algum apagão nos aeroportos durante o Pan? Pois sabemos que devem circular muitos turistas para assistir aos jogos no Rio, aumentando o movimento nos aeroportos de todo o País.

Assim, fica difícil não pensar que o motivo para o motim pode estar relacionado às exigências dos controladores e não ao crescimento econômico do País. Quando querem, o blecaute está feito: vôos atrasados, pessoas dormindo nos corredores, passageiros furiosos. O que não pode ocorrer de maneira nenhuma é a quebra da hierarquia dentro do serviço militar. Por isso, se o Brasil não for capaz de se estruturar para o Pan, torna-se impensável sediar a Copa de 2014.

quarta-feira, julho 11, 2007

“Os melhores – e alguns dos piores – textos de Branco Leone”

No último fim de semana, conheci o escritor Branco Leone, que esteve em Limeira para a noite de autógrafos do mais recente livro do jornalista Luiz Biajoni, “Virgínia Berlim - uma experiência”. Além de Leone, conheci também a sua esposa e também escritora.

Durante algum tempo, debatemos, amigavelmente e racionalmente, sobre diversos assuntos, inclusive sobre as publicações de livros, por grandes editoras e pelas conhecidas popularmente como independentes, no País. São nessas rodas de bate-papo que percebemos como é prazeroso adquirir conhecimentos por meio de pessoas experientes.

Então, na última segunda-feira, feriado no Estado de São Paulo, aproveitei a oportunidade para conhecer o último livro de Branco Leone, “Os melhores – e alguns dos piores – textos de Branco Leone”, publicado por Os Viralata. Foram algumas horas de leitura que garantiram gargalhadas e reflexões profundas, que, em certos momentos, me deixaram depressivo (risos). Até que ponto conseguirei escrever como esse cara? – perguntei-me diversas vezes lendo essa gloriosa obra.

O livro, como o próprio título sugere, são textos elaborados, organizados e revisados por Branco Leone e que já foram publicados algum dia em seu blog. Para os leitores assíduos de seu site, Leone avisa logo de cara, no prefácio, que a obra não traz novidades, ironizando, de certa forma, todo o conteúdo.

Na segunda página, Leone mostra probidade, diferenciando-se de muitos outros escritores, mas, por razões lógicas e honestas, não revelarei, nas próximas linhas, o que escreveu. No entanto, tenho a certeza que essa ousadia não seria permitida em nenhuma grande editora – agradeça às independentes que possibilitam essa façanha.

Explicar todo o conteúdo, texto por texto, demandaria tempo e muitas “postadas” neste blog. Assim, aconselho ler atentadamente “Mulheres que fazem blog” e entenderão o porquê muitos não perdem tempo lendo ou montando um. Todos têm uma Jurema na vida para atormentar e aconselharmo-nos.

É espantoso observar como Leone escreve para o leitor e não para o escritor. As palavras fluem como água em profunda correnteza. Se realmente não há nada de novo nesses textos? Então, perdi parte do meu tempo nos últimos três anos deixando de acessar o seu blog.

Diferente de outras obras, “Os melhores – e alguns dos piores - textos de Branco Leone” não leva a uma viagem de reflexões constantes, somente em alguns momentos onde é preciso pensar maduramente. Por outro lado, uma dúvida imortalizou toda a minha leitura: são histórias verídicas? Afinal, a veracidade do conteúdo seria considerada uma “comédia da vida privada”. O fim da suspeita aconteceu após entrar em contato com Leone, que revelou: “a esmagadora maioria é. No mínimo, tiveram origem em algum fato, mesmo que depois a literatura as tenha distorcido em causa própria.”.

Puxa vida, colocar no papel (ou blog, se preferir) alguns contos como esses não deve ser fácil, é trabalho duro pra caralh... Mas Leone faz isso de forma surpreendente. Sobre os piores textos, de maneira nenhuma significa que são ruins. Apenas alerta para o fato de que alguns textos são fudidos e outros são foda. Com humor sarcástico, a obra garante momentos hilários.

E, como diria Branco Leone, “este post encontrava-se confortavelmente em branco” - hehe.

terça-feira, julho 10, 2007

Ainda não tive mil scraps

Ao navegar pelo mundo “cibercomunitário” do Orkut, comecei a atentar-me ao fato de muitos dos meus relacionados (amigos e desconhecidos), que estão inclusos na minha rede virtual, já tiveram mais de mil scraps ou, agora em português, recados. Em quase três anos que utilizo o Orkut, nunca cheguei a esse fabuloso número, registrando apenas aproximadamente 700 recados – mas estou quase lá -, podendo contar no dedo as poucas vezes que foram necessárias apagar algum recado maldoso, como por exemplo, “se você está fora do peso, entre neste link...” – que coisa feia de alertar um amigo sobre o seu peso mal distribuído, não!?

Mas, se faz aproximadamente 1100 dias que utilizo o Orkut, então, significa que recebi, em média, 1,5 recados por dia durante os últimos três anos. Ou seja, provavelmente ainda precisarei esperar mais de 200 dias ou seis meses para festejar essa fabulosa expressão.

Penso, então, por que demorou tanto para esse número aparecer na página inicial do meu perfil? Creio que a resposta esteja nas poucas vezes que fiz do Orkut o meu principal meio de comunicação. Não utilizo essa ferramenta para deixar recados que não devem ser lidos e observados por curiosos. Para isso, existem outros softwares e ferramentas mais adequados, como o MSN, o e-mail ou a própria “Mensagens” do Orkut.

No entanto, a maneira como os brasileiros adaptaram-se ao site modificou radicalmente o modo correto de utilizá-lo. Hoje, o feitiço realmente virou contra o feiticeiro, pois muitos usuários, com receio de curiosos, entraram na mania de apagar os recados após serem lidos, principalmente depois que passaram a utilizar o Orkut como um comunicador instantâneo. Se ele fosse um, não precisaria do Google Talk como mais uma ferramenta do site.

Se o Orkut é uma comunidade de amigos, por que não compartilhar seus recados? Caso queira privacidade, mande uma mensagem utilizando uma outra opção que o Orkut também oferece e que é de fácil acesso, como por exemplo, a ferramenta “Mensagens”, já mencionada no parágrafo anterior.

Portanto, não sou de mandar muitos recados pelo Orkut. Quando quero falar algo mais pessoal para um único e exclusivo destinatário, prefiro usar o e-mail ou recorrer ao Messenger, que são ferramentas mais do que eficientes para a comunicação on-line.

Para uma grande parte dos “internautas”, o Orkut tem servido para reencontrar velhos conhecidos. Assim, não dependo de scraps para construir uma relação de amizade com os meus relacionados. Tenho apenas singelos 700 recados e, com certeza, quando chegar a mil, será uma vitória. Depois, só resta desejar que o Orkut sobreviva mais três anos e meio, pelo menos, para festejar os próximos mil que ainda virão.

Orkut: use, mas não abuse!

segunda-feira, julho 09, 2007

Um pouco sobre “Virgínia Berlim”

Na tarde de ontem, finalmente tive tempo de ler o último livro do jornalista Luiz Biajoni, “Virgínia Berlim – uma experiência”. Quem sou eu para criticar ou dizer se o livro é bom ou não. Afinal, foi escrito por alguém que tem muito mais experiência do que eu na área jornalística e tem um conhecimento admirável sobre diversos assuntos, como livros, músicas, filmes e política. O que posso expressar, nos próximos parágrafos, é apenas o que penso sobre essa surpreendente obra.

Correr os olhos linha por linha, parágrafo por parágrafo e imaginar cada cena é alucinante. Em “Virgínia Berlim” não há ilustrações o que é fantástico, pois um dos prazeres fundamentais de uma leitura de um livro está na possibilidade do leitor imaginar cada personagem e cada cena do modo como quer, sem ficar acorrentado a ilustrações. É frustrante para o leitor quando vira a página de um livro que revela uma ilustração totalmente diferente a que havia imaginado.

Assim, a nova obra literária de Biajoni segue com pensamentos rápidos, frases curtas e sem diálogos, evitando a distração do leitor. Diria que é muito diferente do que estou acostumado a ler, pois utiliza uma escrita moderna que provavelmente tenha sofrido alguma influência da era Digital. Por isso, torna-se um conteúdo literalmente independente, já que Biajoni registra, a todo instante, um modelo de escrita que foge dos padrões robóticos de muitos autores.

Resumidamente, a obra conta a história de uma relação que surgiu entre dois colegas de trabalho, quebrando a rotina de ambos por algumas semanas. Traição, paixão, amor ou dúvida perpetuam todo o enredo.

Durante essa paixão, esse amor ou talvez essa aventura, Biajoni ainda adiciona à trama um mistério: uma morte sem explicação. As autoridades investigam dois suspeitos ou, então, tentam avaliar a possibilidade de um suicídio, o por quê? Pode até ser que a resposta esteja numa receita de um bolo. Você já pensou nisso? Aposte que Biajoni sim.

Paracido com um disco de Vinil, o CD da trilha sonora da obra, que completa o charme de “Virgínia Berlim – uma experiência”, também segue com o livro. A conexão com a trilha e o livro só é comparável a longas de diretores como Cameron Crowe, que dirigiu o premiado “Quase Famosos”. Não bastasse a relação surpreendente entre a obra e a trilha sonora, Biajoni teve a feliz escolha ao selecionar uma mídia que lembrasse os memoráveis e inesquecíveis discos de vinis, que realçam o exemplo cultural dos personagens.

Após a leitura de “Virgínia Berlim”, quando se permite o “play” da trilha sonora, uma viagem às lembranças de cada parágrafo do livro torna-se inevitável. Canções como a do talentoso Lou Reed, considerado por muitos o pai das músicas alternativas, transformam o livro numa obra não apenas para ficar na reflexão do leitor por horas, dias ou semanas, mas também como um objeto essencial para ser lembrado, a qualquer momento, num toca-CD ou até mesmo num MP3 player.

Caso tenha interesse em ler o livro, ele está disponível para compra no site Os Vira Lata. Ou corra para a noite de autógrafos em São Paulo e no Rio de Janeiro:
14/07 - Rio de Janeiro/RJ - no Amarelinho, localizado na Praça Floriano, 55-B -Cinelândia - Telefone: [21] 2240-8434
21/07 - São Paulo/SP - no Bar Canto Madalena, localizado na Rua Medeiros de Albuquerque, 471 - Vila Madalena - Telefone: [11] 3813-6814
Eu recomendo!

domingo, julho 08, 2007

Transmissão ao vivo pela Internet

Ontem, o mundo pôde acompanhar o evento “Live Earth” por meio da página do MSN. É admirável toda a tecnologia aplicada pela Microsoft para garantir a qualidade da transmissão do evento para todos os cantos do mundo.

Diferente do YouYube, que, em alguns casos, é preciso aguardar todo o vídeo ser carregado para assisti-lo ininterruptamente, a transmissão ao vivo do “Live Earth” foi propagada, garantindo a qualidade da imagem e do som, sem que houvesse paralisações durante as transmissões.

Até nem parece coisa de Internet, quem diria poder assistir vídeos ao vivo em pleno sábado com qualidade de imagem e de som. Mas para tudo tem uma explicação. Quem forneceu a transmissão on-line foi a toda poderosa Microsoft, pela página quase esquecida do MSN.

Mas essa não foi a primeira vez que tive a oportunidade de acompanhar um show ao vivo pelo MSN.com. Outra transmissão que seguiu o mesmo modelo do “Live Earth”, em termos de qualidade do conteúdo, foi o show do roqueiro Rod Stewart e do cantor inglês Elton John. A transmissão de Stewart foi durante o lançamento do seu último álbum, “Great Rock Classics of Our Time”, e de John fez parte das comemorações de seus 60 anos.

Uma outra vez, assisti, ou pelo menos tentei, a um show de Madonna, mas a qualidade estava péssima. No entanto, é importante analisar que a “pequena” diferença era que o show de Madonna foi transmitido pelo próprio site oficial da cantora.

Então, é possível notar que a Microsoft utiliza a mais alta tecnologia para as transmissões de áudio e vídeo pela Internet (ao vivo). Creio que seja interesse da empresa patrocinar esses tipos de concertos, pois o vídeo e o áudio por meio de streaming será o futuro da Internet, e quem estiver mais preparado aparecerá mais.

Um exemplo dessa teoria pode ser estudada pelo fenômeno YouTube, que cresce o número de acessos a cada dia. A possibilidade de compartilhar vídeos com qualidade e facilidade abre mais uma porta de entrada para a comunicação na Internet. Por isso, existe esse interesse da Microsoft em testar essa plataforma. Não há dúvidas que o MSN deve entrar com tudo nesse mercado nos próximos anos.

A atração de shows ao vivo via Internet, além da publicidade, é para cativar o cliente a conhecer a nova tendência da Web e, provavelmente, possibilita a Microsoft efetuar testes de tráfego durante a transmissão streaming, que é a tecnologia que permite o envio de informação multimídia através de pacotes. De qualquer forma, para o bem do on-line, a cada dia, as transmissões on-line ficarão melhores.

Detalhe, alguns shows que já foram transmitidos pelo MSN podem ser acessados no endereço eletrônico abaixo:
http://music.msn.com/inconcert

sábado, julho 07, 2007

"Virgínia Berlim", um livro de Luiz Biajoni

Momentos atrás, no Bar da Montanha, na cidade de Limeira, ocorreu a noite de divulgação do novo livro do jornalista americanense Luiz Biajoni, “Virgínia Berlim – uma experiência”, publicado pela editora independente Os Vira Lata. Esse é a segunda obra de Biajoni, que ultimamente vem pautando a fundo sobre as publicações independentes em seu blog.

O primeiro livro de Biajoni, “Sexo Anal”, na verdade é um e-book, que é um formato de feito para Web e pode ser lido na tela do computador. O livro pode ser baixado gratuitamente em seu blog.

Ainda não tive tempo de ler “Virgínia Berlim”, mas em breve vou comentá-lo aqui. Para conhecer um pouco sobre a obra, segue abaixo um trecho da resenha escrita pelo jornalista Paulo Corrêa, do Jornal de Limeira.

"[...] a riqueza do segundo livro de Biajoni está justamente na força imposta pela narrativa. É versátil, bruto e letal. Não existem travessões ou aspas nos diálogos. O protagonista ora narra a história em primeira pessoa, ora se disfarça de um atento narrador-observador. São armadilhas do escritor para tragar o leitor ao buraco-negro do livro.[...] "Virgínia-Berlim - uma experiência" é um livro de perdas. Ou melhor, do processo da perda e da cura natural da dor. Sem ensinamentos. Sem pieguice. O personagem sem-nome, de 30 anos, vivendo em um não-lugar e que se apaixona inesperadamente por uma escriturária "sem sal" chega a roubar um arremedo de sorriso dos lábios em algumas ocasiões. Importante: o livro do americanense Biajoni não é um romance policial. Sequer é um romance. Também não é um conto. Crônica? Não também. Então, a obra é o quê? A resposta está no subtítulo: uma experiência [...]"

Leia o livro inteiro!!!! Clique aqui é baratinho.

Os mais esperados do ano

Parece que, entre este ano e o ano que vem, alguns artistas da música POP da década de 80 devem ressurgir das cinzas após um longo período fora da mídia, como é o caso da cantora norte-americana Cyndi Lauper e do cantor Michael Jackson.

Segundo o site Billboard, Madonna, Michael Jackson e Cyndi Lauper estão entre os dez colocados na lista dos futuros álbuns mais aguardados do ano (2007/2008). No entanto, nenhum dos cantores anunciou uma data oficial para o próximo lançamento. Mas disseram que estão trabalhando em algo novo – que novidade!?

O cantor Michael Jackson não lança nenhum álbum com canções inéditas desde 2001, do aguardado “Invincible”. Porém, nos últimos meses, Michael tem se reunido com grandes produtores musicais para elaborar em seu próximo projeto. Mas ainda nenhum detalhe foi divulgado. Segundo o próprio cantor, em entrevista exclusiva a um canal britânico, o lançamento ocorre ainda este ano.

Conhecida como “rainha do pop”, a imagem de Madonna sempre esteve ligada à mídia nos últimos vinte anos, pelo menos. Talvez seja a única cantora que tenha sobrevivido ao som do POP Rock da década de 80. O segredo da estrela está na inovação de seu visual, no acompanhamento das mudanças e dos estilos musicais, que se faz necessário, e no “provocamento” da mídia com algo inusitado, como por exemplo, a crucificação em uma cruz de espelhos em sua última turnê, “Confessions Tour” ou a simulação de masturbação durante a “Blond Ambition Tour”, em 1990, que virou até documentário, intitulado “Na Cama com Madonna”.

Em entrevista ao fantástico há cerca de dez anos, Madonna afirmou que, antes de qualquer lançamento de um álbum, procura estudar bastante, ou seja, pesquisar um pouco sobre o novo trabalho e o que pretende com ele, evitando assim, erros que são imperdoáveis num patamar em que ela se encontra.

Com certeza, esse é um detalhe que pode fazer uma grande diferença no resultado de um trabalho comercial. É preciso acompanhar as mudanças e estilos musicais que surgem se quiser realmente sobreviver e ser lembrado nesse ramo.

No entanto, Cyndi Lauper nunca seguiu os conselhos de Madonna. Explodiu como uma bomba em na metade da década de 80 e chegou até rivalizar com a “rainha”. Cyndi teve grandes sucessos que embalaram as rádios até o fim dos anos 80 e, claro, ainda é possível escutar uma de suas canções durante a programação das emissoras, como “True colors”, “Girls just wanna have fun” e “Time after time”. No entanto, sua imagem apagou-se nos últimos dez anos.

Após a década de 80, Cyndi tentou inovar lançando álbuns que receberam as melhores críticas possíveis. Mas o gosto musical da maioria ainda não estava preparado para essa inovação drástica. Após uma década, seu nome começa a surgir novamente na mídia, principalmente depois de sua última turnê, “True Colors”, que se encerrou em Los Angeles no último dia 30.

Inclusive até a cantora Britney Spears, que encabeça a lista da Billboard, quis pegar uma carona na turnê de Cyndi Lauper. No entanto, cometeu um erro. Esqueceu-se que Cyndi é exigente e não permite dublagem em seus shows. O final da história? Cyndi não permitiu que Britney participasse de seu show usando o famoso playback – o mesmo que ela utilizou no Brasil e foi vaiada durante o “Rock in Rio”.

Mais uma vez Cyndi Lauper tentará inovar. Segundo a cantora, o seu próximo álbum, “Savoir Faire”, com lançamento previsto para o janeiro de 2008, será baseado em música “dance”, seguindo os passos de sua antiga rival, Madonna, que obteve um grande sucesso com o último álbum.

A novidade mais recente é que, depois do sucesso da pequena turnê “True Colors”, que rendeu matérias em grandes jornais norte-americanos, após 13 anos, ela volta ao Brasil, com uma nova turnê, no dia 2 de outubro, no Credicard Hall, em São Paulo.

Ainda a lista da Billboard traz nomes como Cher e Whitney Houston. Será que passaremos por uma fase “A volta dos mortos vivos”? Precisamos aguardar para ver se a moda volta como realmente diz o ditado.

sexta-feira, julho 06, 2007

O novo de novo

Caro leitor

Ultimamente não andei escrevendo no blog por causa de alguns problemas que impossibilitaram a atualização constante. Mas estou de volta a partir de hoje.

Abraços e segue abaixo o mais novo texto

Escolhas para o bem

Ao acorrentar o filho de 17 anos, dona “Maria” (nome fictício) pensou que seria a atitude mais correta e racional para evitar que o seu filho não venha a ser alvo das submetralhadoras dos traficantes de drogas ilícitas.

Essa foi a atitude tomada pela mãe de um adolescente em Feira de Santana, na Bahia, pensando que poderia proteger o seu filho de traficantes que supostamente teriam o ameaçado de morte por causa de uma dívida de R$ 100. Foi uma escolha de dona “Maria”, mesmo não sabendo qual efeito poderia provocar.

Logicamente não é o caminho ideal a ser adotado para tentar corrigir algum tipo de falha que ocorreu durante a educação cultural e moral desse adolescente. Mas também não é justo que o sistema de educação deste país permita que jovens tenham acesso a drogas ilícitas com mais facilidade a oportunidades que possam garantir um futuro melhor.

Por outro lado, também é dever da família conduzir esses jovens a escolherem como agir eticamente dentro de uma sociedade que é dividida por dois caminhos: o do bem e o do mal. Não tenho dúvidas de que “escolha” é a palavra-chave e essencial para que possamos viver civilizadamente neste mundo.

Independente se governo age como deveria ou não. Viver numa sociedade moderna, ou seja, num país livre e democrático, nos possibilita a fazermos escolhas. E acredito que todos têm essa oportunidade, mesmo não prevendo se o resultado será positivo ou negativo.

Nem sempre as escolhas certas são as que agradam, mas, às vezes, tornam-se necessárias se não desejar optar pelas erradas. Ninguém é vítima do cotidiano, pois existem escolhas a serem feitas. Mas como nem sempre o resultado é prazeroso, busca-se um culpado.

Se o governo não cumpre o que promete, é a população que opta se quer ficar calada ou movimentar-se para exigir mudanças. É preciso que as pessoas tenham acesso à educação como é necessário que entendam que os acontecimentos são resultados de escolhas. Só assim será possível viver dignamente numa sociedade sem vítimas.

quinta-feira, maio 17, 2007

Memória boa para poucos

Muitos estudos sobre o tema mostram que o melhor caminho para exercitar a memória é lendo. Por outro lado, no Brasil, esse exercício é praticamente descartado pela maioria dos brasileiros. Mas que novidade isso tem para você leitor? Nenhuma.

No caso de leitura de livro, acontece que, certa vez, tive a curiosidade de perguntar para uma das proprietárias da maior rede de livros do País por que os livros são tão caros. Prontamente, como se estivesse ensaiado a resposta alguma vez, ela justificou que comparado com o número de habitantes no Brasil – cerca de 180 milhões -, ainda é muito baixo o número de livros vendidos todos os anos. Assim, as editoras não têm como baratear mais as publicações.

Então, pergunto: como os brasileiros poderão ter acesso aos livros se ainda é um produto caro e como crescer a venda se poucos podem comprá-los? Realmente é uma situação complicada e não favorece nenhum dos lados.

Talvez a melhor maneira fosse baixar os custos dos livros para as editoras, como por exemplo, na impressão de todo material. No entanto, como fazer isso? Quem sairia prejudicado? O governo, a indústria ou o leitor?

É preciso haver uma discussão para que o problema possa ser resolvido, pois o livro, que deveria ser de acesso a toda população, favorece apenas as classes ABC (em raros os casos a classe E também). Assim, o governo contribuirá para a formação educacional do brasileiro.

A leitura não só ajuda na memória de quem a pratica, mas também é um excelente meio para o aprendizado, tanto da própria leitura como da escrita. É essencial fazer prática dela em todos os sentidos.

quarta-feira, maio 16, 2007

A luta contra o aquecimento global

“Primeiro, quero me desculpar com os meus leitores por não ter atualizado o blog ontem. Mas aqui estou de novo.”

O aquecimento global tomou proporções tão grandes que, a partir de agora, artistas como Madonna e Bon Jovi decidiram participar do maior evento de músicas já realizado à favor da Terra, o “Live Earth”. E, claro, o Brasil será um dos países a sediar o acontecimento, que reunirá os maiores nomes da música Pop.

No entanto, se você espera ver Madonna e Bon Jovi na praia de Copacabana, no dia 7 de julho, pode esquecer. Eles participarão do concerto, mas em Londres e não no Brasil. O evento vai reunir sete shows, ao mesmo tempo, por 24 horas, em oito locais diferentes, com a participação de mais de 100 artistas – algumas fontes chegaram a informar que aproximadamente 140 já confirmaram presença.

Porém, os brasileiros podem comemorar, pois somente aqui será possível assistir aos shows sem pagar nada, ao contrário das outras apresentações. Ainda não saiu a lista oficial dos artistas que passarão por aqui, mas já especula-se a participação de cantoras da mais alta categoria como Tina Turner e Jenifer Lopez – ambas foram convidadas a participar do “Live Earth”.

A causa tem seu lado nobre, mas, por outro lado, não deixa de ser uma grade publicidade. O idealizador do evento é o ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore. Apesar de sua persistência ao afirmar que o “Live Earth” será um evento onde os maiores artistas da atualidade estarão unidos contra o aquecimento global e negar uma futura candidatura à presidência dos Estados Unidos, Gore ainda deixa uma leve impressão de que futuramente o veremos novamente disputando as eleições presidenciais.

Mesmo ainda sem a confirmação concreta dos artistas que participarão do “Live Earth”, o projeto já foi criticado por Bob Geldof, organizador do “Live Aid” e “Live 8”, ambos para conscientizar sobre a fome na África. Segundo Geldof, o aquecimento global já está sendo debatido no mundo inteiro, ao contrário da fome na África, onde a maioria da população mundial não está consciente dos problemas que o país enfrenta dia após dia.

Geldof tem sua razão em afirmar que ultimamente discute-se menos sobre a fome na África do que sobre o aquecimento global. No entanto, todos os projetos são importantíssimos e devem ser divulgados da mesma maneira. A população mundial tem a necessidade de estar atenta aos problemas que afetam diretamente a vida das pessoas ou que poderão afetar futuramente. O problema não é isolado e sim de todos. Assim, acredito que vale tudo para conscientizar a população de todas as dificuldades enfrentadas pelo o nosso planeta.

segunda-feira, maio 14, 2007

Um resumido balanço da visita de Bento 16

Nesse fim de semana, quem foi a São Paulo e não viu Bento 16 era a mesma coisa de ir a Roma e não ver o papa. Sorridente e simpático, Bento 16 chegou ao País com a intenção de não somente resgatar os fiéis que deixaram a Igreja Católica nos últimos anos, mas acima de tudo abrir a 5ª Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe, que vai decidir os próximos passos da Igreja Católica na América Latina e, talvez, no mundo.

Bento 16 falou sobre o aborto, a fidelidade do casamento, o uso de anticoncepcionais e também de fé, que, segundo ele, seria mais importante do que a ideologia política. O papa comportou-se como um pop star e levou milhões de fiéis ao seu encontro. Bento 16 estava tão seguro e ao mesmo tempo tão “brasileiro” que, por um gesto de carinho e de respeito com o povo brasileiro, dispensou a janela blindada do papa-móvel por várias vezes e apareceu para saudar a população muito mais do que o previsto.

O papa elogiou o Brasil e admitiu que João Paulo 2º estava certo quando falava sobre a hospitalidade do povo brasileiro. Afinal, segundo um pré-levantamento feito pela organização da visita de Bento 16 ao Brasil, mais de 2 milhões de pessoas acompanharam o pontífice no País – sem contar com àquelas que não desgrudaram nenhum minuto da televisão, da Internet, do rádio e do jornal.

O momento mais esperado da visita de Bento 16 no Brasil foi a abertura da 5ª Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe, que terá como missão, até o dia 31 deste mês, definir o rumo da Igreja Católica na América Latina e, consequentemente, no mundo. Já que o papa afirmou que o futuro da Igreja Católica está na América Latina, onde concentra-se cerca de 50% dos católicos de todo o mundo.

Depois da visita de Bento 16, será impossível o governo não discutir a legalidade do aborto – do qual concordo com o papa e sou fielmente contra -, no entanto, creio que essa discussão precisa contar com a opinião da população brasileira, pois trata-se de tirar a vida de um ser humano e questão de saúde pública. Penso que a posição do papa deverá influenciar totalmente nas decisões a serem tomadas sobre o assunto daqui para frente.

O papa Bento 16 deixou o Brasil emocionado, dizendo que guardará para sempre o que viu por aqui, e prometeu voltar – claro, sem previsão de data. Mas deixou claro sua mensagem de paz (com um português praticamente impecável para um alemão) e quebrou todo o preconceito a seu respeito, mostrando-se carinhoso, amável e muito saudável.

sexta-feira, maio 11, 2007

O Papa que ninguém esperou

Após praticamente dez anos desde a última visita de um Papa no Brasil, Bento 16 pisa em território brasileiro e se comporta como ninguém esperava: carismático e simples. A figura desenhada, muitas vezes pela imprensa, era de um Papa sério, tímido e rígido em relação às doutrinas da Igreja Católica.

Mas esse aspecto logo se quebrou depois que Bento 16 fugiu do protocolo, aparecendo seis vezes na sacada do Mosteiro de São Bento – lembrando que não estavam programadas tais aparições.

Não há dúvidas de que Bento 16 é muito mais conservador do que João Paulo 2º. No entanto, aos poucos e a cada dia que passa durante sua estadia no Brasil, mostra-se uma figura simples e carinhosa com o povo brasileiro.

Talvez Bento 16 tenha sentido o clima e calor – apesar do frio intenso desde a última quarta-feira (9) - do povo brasileiro, que traz como cultura a sua hospitalidade e sua simplicidade seja qual for o visitante sua nacionalidade – tirando Geoge W. Bush (pai e filho). Essa é uma característica típica de uma população unida e que se fortalece a cada instante.

O carisma dos últimos dias tem atraído cada vez mais um número maior de fiéis e de religiosos em busca de uma benção de Bento 16 – mesmo que muito rápido – na frente do Mosteiro de São Bento ou mesmo durante um percurso pelas ruas de São Paulo. Suas aparições inesperadas têm confirmado o ditado de que “toda regra tem sua exceção”.

quinta-feira, maio 10, 2007

Esse tal de aborto!

Sou católico, mas acima de tudo sou a favor da vida e tenho bom senso. Assim, tomo a decisão de discordar totalmente da legalização do aborto. Em minha opinião, o nascimento de um ser jamais pode ser interrompido seja por qual motivo foi implantado.

Creio que tudo na vida não acontece por acaso. Da mesma maneira, tenho consciência da importância da vinda de um Papa ao Brasil. Talvez seja esse o momento de discutir a legalização do aborto em nosso País.

Se hoje o governo considera o aborto ilegal e, por isso, cresce o número de clínicas que funcionam clandestinamente praticando essa brutalidade. Nada mais justo e ponderável condenar o governo pela falta de fiscalização – e não somente neste caso. Então, pergunto: por que os seres vivos precisam pagar com a morte pela insuficiência política que assola o Brasil há anos?

Se a desculpa de quem é a favor do aborto for o aumento do número de pessoas que criam clínicas ilegalmente para praticar essa crueldade, então, será preciso criar lojas e mais lojas de entorpecentes, como heroína e cocaína. Pois é, não dá na mesma? Só porque há um número grande pessoas praticam a ilegalidade precisamos mudar nossa opinião?

Espero que a visita de Bento 16 ilumine, e traga a sabedoria e inteligência divina para os nossos representantes. Não somente Papa, Bento 16 é um chefe de estado que tem o poder de calar multidões para seus discursos. Assim, tenho convicção de que sua palavra referente ao aborto pode salvar muitas vidas futuras em nosso País. Sou totalmente favorável à Igreja Católica quando ela se posiciona contra o aborto.

quarta-feira, maio 09, 2007

A Internet como uma nova mídia

Está cada vez mais claro que o avanço da tecnologia é veloz e traz muitos benefícios. Afinal, se não fosse a Internet jamais você estaria lendo esse artigo e muito menos acessando dados sobre a visita do Papa ao Brasil. No entanto, a Internet – talvez a maior revolução tecnológica do século passado – pode se expandir muito mais do que pensamos.

Por meio dela, é possível acessar diversas informações de maneiras completamente distintas. É inquestionável a afirmação de que a Internet é uma nova mídia e pode ser que num futuro próximo seja a única. Essa tecnologia, com um espaço infinito, - chamo assim, pois a todo segundo novas informações estão sendo colocadas à disposição dos usuários e não existe um tamanho limitado para isso -, é o única que consegue unir todas as formas de comunicação já inventadas em único lugar: áudio, vídeo, texto e imagens.

Por isso, acredito que seja difícil ainda definir o que é essa nova mídia e como podemos classificá-la. Por enquanto, sabemos que ela é uma ferramenta que muda drasticamente e instantaneamente, dificultando assim avalia-la. No momento em que falamos sobre ela, as informações que estão sendo ditas - que pensamos estar atualizadas –, muitas vezes, estão totalmente desatualizadas e sem contexto.

Ainda acredito que a Internet poderá ser a única mídia existente, pois a união das mais variadas formas de comunicação – já citadas neste texto – podem ser observadas e estudadas à vontade. Basta acessar qualquer portal e elas estão lá.

terça-feira, maio 08, 2007

Interferências sem soluções

Estamos cansados de ouvir reclamações de pilotos e controladores de vôos sobre as interferências de comunicações e sobre a falta de equipamentos adequados para facilitar o tráfego aéreo brasileiro. Ontem, novamente uma rádio pirata provocou ruídos na comunicação durante um pouso no aeroporto de Cumbica, em São Paulo.

Não é de hoje que faltam investimentos nesta área. No entanto, isso só se tornou público depois do acidente entre o avião da Gol e o jato Legacy, que provocou 154 mortes em setembro do ano passado. Desde então, vários controladores pediram afastamento alegando problemas de saúde, causando a maior crise aérea já enfrentada pelo País.

Os controladores estão corretos em exigir os seus direitos, ou seja, condições de trabalho que garanta saúde e qualidade – isso vale para qualquer profissão. Mas, neste caso, é compreensível, já que esse trabalho lida com tantas vidas todos os dias e é essencial para evitar uma colisão aérea, além de guiar o piloto em sua trajetória.

Tenho um amigo piloto que já teve oportunidades de trabalhar com aviões comerciais e também de ter sido integrante da Esquadrilha da Fumaça da Força Aérea Brasileira. Segundo ele, em muitas áreas pelo País, perde-se o contato com a torre de comando e o rádio fica completamente mudo. O piloto precisa estar atento para que não ocorram tragédias como a do acidente com o avião da Gol. “É um espanto”, comenta.

Ou seja, o governo brasileiro deixa de investir no espaço aéreo brasileiro há muito tempo. Mas infelizmente – como tudo acontece no Brasil – foi preciso chegar ao público tais denúncias para que fosse tomada alguma providência. Assim, é perceptível que a política de Lula está muito longe de ser diferente dos últimos governos.

Quando o governo diz que o problema está resolvido, o tempo mostra que não. A crise no setor aéreo é devastador para um País que está disposto a chegar entre os principais do mundo. Enquanto o governo investiu em um astronauta brasileiro para conhecer o espaço extraterrestre, infelizmente deixou de se preocupar com o seu próprio território aéreo.

De forma alguma é uma crítica a ida de Marcos Pontes à ISS (em português: Estação Espacial), o mesmo porque acho a idéia excelente, pois mostra que o País está disposto em investir hoje na mais alta tecnologia existente. Mas é uma crítica a um governo que não consegue optar pela escolha certa e na hora certa. Primeiro, devemos cuidar do nosso espaço aéreo para depois investirmos em algo que nem é nosso.

segunda-feira, maio 07, 2007

Fórmula da juventude

Quem ainda procura uma fonte que possa rejuvenescer está perdendo o seu tempo. O “Fantástico”, da TV Globo, mostrou uma matéria ontem sobre o grupo musical “The Zimmers”. Mas quem acha que é somente mais uma bandinha de fundo de quintal está completamente equivocado.

A banda toca rock como “The Who”, anda como “The Betles”, faz sucesso no Reino Unido e ainda quebra guitarra durante suas apresentações. Mas o que essa banda tem de tão diferente? É simples e rejuvenescedor.

No total, são 40 integrantes que se divertem ao som do bom e velho rock’n’roll. Porém, todos têm mais de 70 anos de idade e juntos somam mais de 3 mil anos. É praticamente o novo de novo.

O nome da banda, “The Zimmers”, já dá um dica de quem são eles. Porque, na tradução, “The Zimmers” quer dizer “os andadores”, ou seja, trazem no nome a ferramenta mais utilizada pelo grupo. Claro, depois da bateria, da guitarra e do baixo.

O segredo para tal juventude é fazer o que e como gostam. Não importa a idade e o sexo, antes de mais nada é preciso dedicação e carinho em tudo que se faça.

Quer ver o vídeo dessa banda? Acesse: http://www.youtube.com/watch?v=zqfFrCUrEbY

domingo, maio 06, 2007

Tina Turner faz show após 7 anos

Com uma presença de palco única e memorável, Tina Turner, 67 anos, volta a fazer um show após sete anos longe dos holofotes que a iluminaram nas últimas quatro décadas. A apresentação, que terá cerca de 40 minutos de duração, acontece no próximo dia 18 em Londres, no Museu de História Natural, e será beneficente em prol do Caudwell Children.

Durante a estréia do último filme de James Bond, “007 – Cassino Royale”, Tina Turner disse que está trabalhando em um novo álbum de inéditas, previsto para chegar às lojas ainda este ano. No ano de 2003, Tina lançou “All The Best”, uma coletânea reunindo os seus maiores sucessos de sua carreira e mais três canções completamente novas, que vendeu mais de 1 milhão de cópias em todo o mundo.

Em 2000, Tina saiu em turnê, chamada “Twenty Four Seven”, e anunciou que seria a última em sua carreira. No mesmo ano, apresentou-se no antigo estádio de Wembley, em Londres, sendo a última cantora a se apresentar antes da demolição do prédio. O concerto, lançado em DVD e intitulado como “Tina Turner, The Last Time Live in Concert”, reuniu mais de 70 mil pessoas.

Seria impossível falar sobre Tina Turner sem antes fazer uma referência a sua energia e presença de palco. Quem a viu cantar afirma que o calor e a energia transmitidos por ela não se compara a nenhuma outra sensação já vivida. A cantora Janis Joplin, falecida em 1970, chegou a dizer que Tina Turner possui a maior performance de palco do show business.

Considerada a rainha do rock’n’roll e dona do par de pernas mais belas do cenário musical, Tina Turner tem o seu nome escrito no livro dos recordes, Guines Book, por ter tido o maior público pagante em único show de uma cantora solo na história da música. A apresentação aconteceu em 16 de janeiro de 1988 no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

Em 1993, um fato chamou a atenção da mídia, durante um show na Austrália, Tina Turner chamou o piloto brasileiro Ayrton Senna ao palco e declarou ser uma grande fã dele. Em homenagem a Senna, Tina disse que ele era “o melhor” cantando a sua canção “The best”.

Entre as suas dezenas de canções se destacam: “We don’t need another hero”, “Let’s stay together”, “What’s love got to do with it”, “The best”, “I don’t wanna lose you”, “Two people”, “Private dancer”, “Proud Marry”, “I don’t wanna fight no more”, “Be good” e “Help!”.

sexta-feira, maio 04, 2007

"Rei" sempre


Admito que desde criança sou fã do cantor e compositor Roberto Carlos, considerado pela imprensa e sua legião de fãs como “rei” da música brasileira. Talvez essa minha simpatia pelo cantor tenha sido influência de minha mãe, que até hoje guarda - a sete chaves - os discos de vinil do cantor desde os tempos em que RC usava cabelos curtos e cantava rock, que era predominado pela música norte-americana.

O que é preciso para ser considerado um “rei” da música brasileira? A carreira de RC justifica tudo. Mesmo depois de mais de cinco décadas de carreira, ele ainda continua sendo o maior cantor na vendagem de discos na história da música brasileira. No total, RC vendeu quase 80 milhões de discos – uma quantidade grande, já que a maior parte foi vendida no Brasil.

No entanto, me pergunto: “será que um livro pode destruir uma carreira como a de Roberto Carlos?”. Creio que não, principalmente se o livro for escrito por alguém que se declara fã incondicional de seu artista.

No caso de “Roberto Carlos em Detalhes”, escrito pelo jornalista Paulo César de Araújo, RC entrou com uma ação judicial contra Araújo pedindo para serem recolhidos todos os livros das prateleiras. O cantor considerou a obra mentirosa e de “muita má fé”.

Na verdade, não sei se esse realmente foi o motivo que levou RC a ficar irritado com a obra. Mas penso que a decisão de partir para o judicial não foi a melhor. Claro que ninguém gostaria de ver uma história sua – mentirosa ou não – sendo divulgada sem prévia autorização. Entretanto, para RC, que tem uma carreira sólida e ativa, não faria a mínima diferença no histórico de sua carreira um livro biográfico.

Na minha concepção, quem é fã sempre defenderá o seu ídolo da forma como o conhece e, no caso de RC, seria milhares ou até milhões contra um. No entanto, é um direito do cantor não ter sua vida escancarada para o mundo.

Mesmo considerando uma atitude imatura de RC, continuo fã dele do mesmo jeito. Assim, não importa se ele agiu certo ou errado, pois sabe-se que ele continuará sendo o quase "mito" na história da música brasileira.

terça-feira, maio 01, 2007

MÁdrasta enterra criança viva

Como pode uma mãe enterrar seu próprio filho vivo? Na madrugada do sábado último sábado (28), uma adolescente de 17 anos deu à luz a um bebê com a ajuda do pai da criança. Em seguida, os dois teriam enterrado a criança viva, que só foi encontrada pelos familiares três horas depois, quando desconfiaram da história contada pela jovem de que o recém-nascido havia morrido no parto.

Por incrível que pareça, a criança foi encontrada ainda viva e seguiu para o hospital da cidade onde o fato ocorreu, Governador Valadares (MG). No entanto, ela está na UTI neonatal e em estado grave.

É intolerável que a jovem de 17 anos possa não pagar pelo o que fez na cadeia, pois ainda não tem 18 anos. A tal crueldade responsabiliza tanto o pai como a mãe da criança, porque têm plena consciência do que e como fizeram.

Mais uma vez sou a favor para que seja revisto o código penal para punir adolescentes que praticam crimes gravíssimos. Se com 16 anos podemos escolher um líder para governar o país, então somos responsáveis - mais do que nunca -, pelos os nossos atos. Entretanto, não é somente a reforma no código penal que deve resolver o problema. O governo precisa investir em educação, pois será ela que guiará nossos jovens para um futuro melhor ou pior.

domingo, abril 29, 2007

Cyndi Lauper volta ao Brasil em outubro


Após 13 anos, a cantora norte-americana Cyndi Lauper, de 53 anos, volta ao Brasil em outubro – mais precisamente no dia 2, no Credicard Hall, em São Paulo. O anúncio foi feito no começo de outubro pelo site Pollstar, o maior portal de agenda do mundo da música.


“South American Tour” – em português “Turnê na América do Sul” -, é o nome da excursão de Cyndi que passará pelo país. Além das antigas canções, o show deve contar com novas canções do álbum “Savoir Faire”, com previsão de lançamento em julho deste ano.


Para quem não se lembra, Cyndi Lauper foi a musa da era MTV juntamente com a sua maior rival – pelo menos por parte da mídia -, a “rainha” do pop Madonna, na década de 80, e lançou moda e estilo entre as adolescentes da época. Entre os sucessos de sua carreira, alguns a lista: “Girls Just Wanna Have Fun”, “The Gonnies”, “Time After Time”, “True Colors”, “She Bop” e “Hey Now”.