segunda-feira, julho 23, 2007

Por que não eles, os bombeiros, também?

Na última sexta-feira, apenas três dias após a tragédia com o avião da TAM, diretores da Anac (Agência Nacional de Aviação) foram condecorados pela FAB (Força Aérea Brasileira) pelos serviços prestados à Aeronáutica.

Enquanto o presidente da Anac, Milton Zuanazzi, e três outros diretores, Denise Abreu, Leur Lomanto e Josef Barat recebiam uma insígnia honorífica, centenas de bombeiros trabalhavam nos destroços do acidente de terça-feira passada.

A Anac é a responsável por assegurar que o transporte aéreo seja realizado dentro de padrões mínimos de segurança. Você acredita que está sendo seguro voar no espaço aéreo brasileiro nos últimos dez meses? Minha opinião é não, depois de ouvir vários especialistas da área de segurança aérea.

A FAB jamais deveria condecorar tais diretores da Anac na semana da maior tragédia aérea brasileira. O governo ainda estava em luto oficial, decretado por três dias pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Essa atitude, apenas três dias após a tragédia, só serviu para mostrar que não houve solidariedade e nem sensibilidade com as famílias e com o povo brasileiro, que ficou chocado diante desse acidente aéreo.

E os bombeiros que trabalham há dias no resgate das vítimas, que chegaram rapidamente ao local do choque entre o avião e o prédio da TAM, que salvaram vítimas? O que aconteceu com eles?

Esses foram condecorados por cada cidadão brasileiro e por cada parente das vítimas, pois se mostraram capazes de exercer tal função num dos piores cenários já enfrentados por eles. Por que também não receber uma condecoração pelo trabalho excepcional executado durante a tragédia?

Só não entendo por que o governo preferiu aplaudir a Anac enquanto bombeiros arriscavam suas vidas para salvar outras. Não importa, o essencial é que o povo brasileiro aplaudiu de pé o serviço desses homens enquanto o governo comemorou com gestos obscenos a possível falta de culpa na tragédia aérea.

Parabéns aos bombeiros que participaram direta e indiretamente no socorro às vítimas do maior acidente aéreo brasileiro.
Foto: Daniel Santini/ G1

Um comentário:

Celinho disse...

Muitissimo bem lembrado!